São Valentim

São Valentim é o santo que dá nome ao Dia dos Namorados em vários países, reconhecido por Igrejas Orientais e pela própria Igreja Católica. O nome “São Valentim”, assim como a celebração do Dia de São Valentim, pode se referir a dois santos de nome Valentim e que foram mártires e lembrados pela luta pelo bem dos namorados.

No Brasil, o Dia dos Namorados – e o Dia de São Valentim – é comemorado em 12 de junho, enquanto que para alguns outros países (em especial no hemisfério norte) é celebrado em 14 de fevereiro.

símbolo são valentim

História de São Valentim

São Valentim e São Valentim de Terni foram dois padres que viveram no século III.

O primeiro Valentim esteve vivo na época do imperador romano Cláudio II, o Gótico. Naquele tempo, o império passava por inúmeros problemas com muitas batalhas perdidas, sendo que a atribuição de culpa feita do imperador foi para os soldados solteiros.

Cláudio II acreditava que os soldados solteiros eram menos ousados e, quando se feriam levemente, logo pediam dispensa, obtendo afastamento e, ao retornarem, já se encontravam casados.

Já casados, os soldados não se arriscavam nas batalhas, pois a intenção deles era voltar vivos para suas famílias. Na visão de Cláudio II, essa atitude enfraquecia suas tropas. A partir disso, o imperador simplesmente proibiu o casamento dos seus soldados.

Veja também. Significado do símbolo ->  Relâmpago

Aqui entra Valentim, que viu como injusta a ordem dada pelo imperador.

Padre Valentim permaneceu incentivando e celebrando casamentos, mas de maneira secreta. De modo infeliz, Cláudio II descobriu e mandou prendê-lo a fim de interrogá-lo diante de seu povo, mas o imperador ouviu do futuro santo que o matrimônio era uma união sagrada e querida por Deus, sendo uma espécie de manifestação de Sua presença.

Seu impressionante discurso garantiu uma prisão domiciliar, na casa do prefeito de Roma. Embora todos da casa do prefeito fossem pagãos, Valentim converteu a todos à fé cristã após prometer curar uma das filhas do prefeito que sofria de cegueira.

Pedindo a Jesus Cristo a cura da moça e trazendo a conversão à fé cristã, Valentim assinou sua sentença de morte – o imperador decretou que o padre fosse morto a pauladas e, depois, decapitado na via Flaminia.

A história do outro Valentim também não é agradável. Este Padre Valentim foi sagrado bispo de Terni em 197, também conhecido por fundar a cidade italiana de mesmo nome.

Veja também. Significado do símbolo ->  Símbolo da Pedagogia

São Valentim de Terni ficou famoso por seus conselhos e por auxiliar na reconciliação de vários casais de namorados, sendo basicamente um cupido. Sua fama de casamenteiro aumentou bastante, assim como o seu poder de cura, pois orava pelos doentes em outras dioceses.

Na história de São Valentim de Terni, o mesmo foi capaz de converter um famoso filósofo grego e seus três discípulos. Entretanto, isso fez com que ele fosse denunciado, preso e julgado pelo então imperador Aureliano.

O resultado já seria óbvio: Valentim de Terni foi condenado e decapitado.

Seu corpo foi resgatado pelos filósofos convertidos que o transportaram até Terni e o sepultaram.

Simbologia de São Valentim

São Valentim simboliza o amor em culturas orientais e ocidentais.

O símbolo de São Valentim está associado ao amor romântico entre casais, por isso faz parte do imaginário de muitos países, principalmente ao levar-se em conta as histórias de ambos os santos, que favoreceram a criação do Dia de São Valentim.

Não somente a questão dos santos, mas o simbolismo de São Valentim pode estar relacionada a uma festa pagã que era realizada na Roma Antiga em homenagem ao deus da fecundidade, Fauno, no dia 15 de fevereiro. Tais festejos sempre terminavam em um banquete enorme onde os homens faziam o sorteio das mulheres com as quais eles iriam passar a noite – o que poderia resultar em relações amorosas ou ainda em casamento.

Veja também. Significado do símbolo ->  Cronos

No término do século V, o papa da época, Gelásio I, proibiu tal festa e orientou que a comemoração fosse a São Valentim – o mártir que foi considerado o patrono dos apaixonados pela Igreja Católica –, um dia antes (em 14 de fevereiro).

Graças a esses patronos dos namorados, a tradição do dia dos apaixonados faz com que haja uma imensa comercialização de produtos que remetam ao amor, na troca de presentes e de mensagens afetuosas e que reafirmam o sentimento mútuo entre as pessoas.

Veja também os significados dos símbolos: